Menu

Introdução

Definição

A dermatite é definida como uma inflamação da pele. A dermatite de contacto refere-se a à dermatite causada pelo contacto entre a pele e uma substância que pode ser um alergénio (uma substância que provoca uma reação alérgica) ou um irritante (uma substância que danifica a pele). Os irritantes são responsáveis ​​por cerca de 80% dos casos de dermatite de contacto. Na maioria dos casos, as medidas de autocuidado e a terapêutica medicamentosa podem controlar os sintomas e prevenir complicações da dermatite de contacto.

Dermatite de contacto alérgica ocorre quando a pele entra em contacto direto com um alérgeno. Isso ativa o sistema imunológico do corpo, o que desencadeia a inflamação. A dermatite de contacto alérgica pode ocorrer depois da pele ter sido exposta a um novo produto ou depois de usar um produto por meses ou anos.

Frequência

Foram relatadas taxas de prevalência de 13,3-24,5% mas a maior taxa de sensibilização foi encontrada em crianças de 0 a 3 anos.

Causa

As causas mais comuns de dermatite de contacto irritativa são produtos utilizados diariamente, incluindo sabão, produtos de limpeza e álcool. As pessoas com outras condições de pele, nomeadamente pele seca, estão em maior risco, embora qualquer pessoa possa desenvolver dermatite irritativa.

Sinais e sintomas

Os irritantes leves causam vermelhidão, secura, fissuras (pequenas rachaduras) e comichão. Irritantes fortes podem causar inchaço, escorrência, sensibilidade ou bolhas. As mãos são comumente afetadas, muitas vezes entre os dedos. Dermatite irritante também pode afetar o rosto, especialmente a pele fina das pálpebras.

Os sintomas da dermatite de contacto alérgica incluem comichão intensa e uma erupção cutânea avermelhada. A erupção cutânea é geralmente limitada a áreas que estavam em contacto direto com o alergénio, mas pode aparecer em outras áreas do corpo.

A distribuição das lesões pode indicar o tipo de agentes associados à dermatite (tabela 1).

 FaceCosméticos, fragrâncias, óculos, fármacos, champôs, bijuteria (lóbulos orelhas), aditivos de borracha (capacetes), brinquedos, balões.
PálpebrasCosméticos, máscaras, desmaquilhantes, voláteis aerotransportados, fármacos tópicos, verniz unhas, óculos de natação.
PescoçoBijuteria, champôs/amaciadores cabelo, tintas capilares, perfumes.
Região mucosa perioralDentífricos, aditivos de borracha (escova dentes), elixir, aparelhos dentários, pastilha elástica, condimentos, alimentos (citrinos, manga).
Tronco/AbdómenRoupa (tintas ou acabamentos com formadeído), metais (cinto, molas, aros soutien, fechos metálicos, piercings), tatuagens.
AxilasDesodorizante, roupa (poupa vértice axila), cremes depilatórios, cera depilatória
Mãos e punhosSabões, detergentes, bijuteria, plantas, aditivos borracha (comandos TV, playstation®), luvas de látex.
PésCalçado (cromatos – usados na curtição do couro, aditivos de borracha, colas, tintas), meias

 

O que fazer

Na fase aguda, a criança pode ter algum inchaço e prurido, com posteriormente lesões de coceira, podendo ficar com infecção. Nestes casos torna-se necessária a observação pelo Médico de família ou Pediatra, pois pode necessitar de tratamento com cremes anti-inflamatórios e/ou antibióticos.

A criança deverá ser referenciada à consulta de Dermatologia quando houver dificuldade no diagnóstico, má resposta à terapêutica inicialmente instituída e nos casos mais severos em que o tratamento tópico não seja eficaz.

Tratamento

O objetivo do tratamento da dermatite de contacto irritante é restaurar a barreira da pele normal e proteger a pele das futuras lesões. Reduzir a exposição a irritantes conhecidos é essencial. Em alguns casos, simplesmente reduzir o uso de sabão e usar um creme emoliente alivia completamente os sintomas. É importante ainda usar luvas quando se estiver a trabalhar com substâncias irritantes.

Em casos mais graves, podem recomendar-se corticosteróides tópicos (esteróides). Os cremes e pomadas com esteróides estão disponíveis em vários graus de potência, devendo ser utilizados com prescrição médica.

Os tratamentos com corticoide para dermatite de contacto são mais eficazes quando aplicados e cobertos com uma barreira, como um invólucro de plástico, um curativo, luvas de algodão ou vaselina. Os corticoide orais como a prednisolona, podem ser usados ​​brevemente para tratar dermatite severa, mas não são recomendados para tratamento prolongado de dermatite de contacto irritante.

A dermatite de contacto alérgica geralmente resolve em duas a quatro semanas após a eliminação do alergénio, embora possa ser mais demorada em alguns casos. Várias medidas podem minimizar os sintomas durante esse período e ajudar a controlar os sintomas em pessoas com dermatite crónica de contacto alérgica. Sempre que possível, identifique e pare toda a exposição ao alérgeno. Os banhos de aveia ou loções calmantes, como a loção de calamina, podem proporcionar alívio em casos leves. Os corticosteróides tópicos podem ser recomendados para pessoas com sintomas leves a moderados, tal como também utilizados na dermatite irritativa. Uma roupa de algodão húmida (a roupa é colocada em água e depois torcida) pode ser usada sobre a área afetada e coberta com uma peça de vestuário seca. Como exemplo, para um adulto com dermatite de contacto alérgica na região das pernas, a roupa interior longa molhada pode ser coberta com uma roupa interior longa e seca maior. Quando usadas durante o dia, as loções devem ser reaplicadas a cada oito horas. Os bébés e crianças com envolvimento extensivo da pele podem usar pijamas molhados cobertos por um par de pijama seco. Em pessoas com dermatite grave, um curso curto de corticóides orais pode ser recomendado para controlar os sintomas. O uso de anti-histamínicos em creme ou pomada deve ser evitado porque pode causar dermatite de contacto.

Evolução / Prognóstico

Deve-se sempre ter em conta que pode não ser possível identificar o agente causal da dermatite. Caso seja identificado o prognóstico é habitualmente bom se for realizada a evicção do mesmo e os cuidados diários com a pele.  

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail