Menu

Introdução

Definição

Saída de conteúdo abdominal sólido (intestino, ovário, trompa) através de um defeito ao nível do canal inguinal (junto à virilha).

Causa

Nos meninos, durante a gravidez, os testículos iniciam a sua individualização junto aos rins, iniciando um processo de descida até ao escroto. Nas meninas, o canal inguinal é atravessado por uma estrutura que ajuda a fixar o útero ao grande lábio – o ligamento redondo.

A passagem destas estruturas pelo canal inguinal, pode criar uma zona de fraqueza, facilitando o aparecimento de uma hérnia inguinal ou um hidrocelo.

Frequência

A incidência é de 5% das crianças, com um predomínio do sexo masculino (10:1). Em prematuros pode surgir em quase 20% dos casos. É mais frequente à direita (60%), podendo ser bilateral (15%).

Sinais e sintomas

O diagnóstico de uma hérnia inguinal visível é simples: observa-se assimetria das regiões inguinais (virilhas), ou um inchaço mole e indolor do lado afectado, que se pode prolongar até à bolsa escrotal, se a hérnia é inguino-escrotal. Essa assimetria pode prolongar-se até à bolsa escrotal.

Na presença de hérnia, colocando os dedos sobre o “inchaço” há uma sensação de “impulso” palpável/ visível ao nível do canal inguinal quando a criança tosse. Com a criança deitada é possível “empurrar” o seu conteúdo (geralmente intestino ou ovário). para dentro do abdómen (barriga), fazendo compressão suave sobre a hérnia.

A hérnia pode “encarcerar” (não ser possível reduzir o seu conteúdo) ou “estrangular” (o seu conteúdo fica tão apertado que a circulação não se faz correctamente), passando a ser uma urgência cirúrgica. O diagnóstico faz-se porque a hérnia se torna dura, dolorosa e difícil de reduzir. Nessas circunstâncias está-se em presença de urgência cirúrgica, que deve ser resolvida or um profissional de saúde.

O que fazer

Perante a suspeita de hérnia inguinal, a criança deve ser observada por um especialista. Se a suspeita for de hérnia encarcerada ou estrangulada, trata-se de uma urgência cirúrgica, que deve ser referenciada com a máxima brevidade.

A hérnia inguinal tem indicação cirúrgica, visto que não encerra espontaneamente, e pode ter complicações. Numa criança do sexo feminino, a suspeita de ovário herniado obriga a cirurgia sem demora, dado o risco de torção e eventualmente perda irremediável do órgão.

Tratamento

O tratamento cirúrgico da hérnia é realizado sob anestesia geral, em regime ambulatório, e consiste na laqueação do canal que causou a hérnia ou o hidrocelo.

Evolução / Prognóstico

A cirurgia é curativa, o prognóstico é bom.

A criança retoma a sua rotina sete dias após a intervenção, e a prática de desporto três semanas pós-cirurgia.

Prevenção / Recomendações

Uma vez diagnosticada, a indicação operatória deve ser discutida com o cirurgião, dado o risco de encarceramento/ estrangulamento, tanto maior quanto menor for a hérnia, e tão mais jovem for a criança.

Não se deve utilizar compressão externa para manter uma hérnia reduzida (conteúdo herniário intra-abdominal).

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail