Menu

Introdução

Os medicamentos possuem efeitos não desejados mesmo na dose adequada. As reações de hipersensibilidade aos medicamentos (RHMs) podem ser pseudoalérgicas ou alérgicas.

Os anti-inflamatórios não esteroides (AINES), como o paracetamol ou o ibuprofeno, são medicamentos muito utilizados em pediatria para o tratamento da dor e da febre. Estes atuam em moléculas denominadas cicloxigenase (COX)-1 e -2.

Frequência

Estima-se que sejam o segundo grupo mais comum de fármacos responsáveis pelas RHM em idade pediátrica.

Causa

As reações alérgicas desencadeadas por AINES são mediadas pelo sistema imunitário.

As reações pseudoalérgicas são provocadas pelo efeito inibitório do AINE na COX-1, que culmina em sintomas semelhantes aos das reações alérgicas.

Sinais e sintomas

Os sintomas podem ocorrer minutos a horas após a administração do medicamento (sintomas imediatos) ou podem surgir 24 horas após a toma do mesmo (sintomas tardios).

Os sintomas imediatos são comichão na pele, nariz, olhos ou garganta, inchaço dos lábios, pálpebras, orelhas, manchas na pele, pingo no nariz, espirros, dificuldade em respirar, pieira (“gatinhos”), dor de barriga, vómitos, diarreia, desmaio.

O que fazer

Suspender o medicamento suspeito e procurar ajuda hospitalar.

Nas reações com sintomas ligeiros a moderados, pode administrar anti-histamínico oral (exemplos: desloratadina, cetirizina) e corticoide oral (exemplos: prednisolona, deflazacorte, betametasona).

Caso já seja portador, administrar a caneta de adrenalina na face lateral da coxa, em caso de reação alérgica grave (anafilaxia).

Tratamento

Na suspeita de alergia a um fármaco, a criança irá ser encaminhada para uma consulta de Alergologia Pediátrica.

O diagnóstico será estabelecido com base na história clínica, portanto, é fundamental que se recorde do máximo de pormenores possíveis como: o fármaco suspeito, a via de administração, tempo decorrido até aos sintomas após a administração, sintomas, outras ocasiões em que tenha tomado o fármaco e outros AINES que tenha tomado posteriormente.

Nesta consulta irá realizar estudos com provas sanguíneas e/ou provas cutâneas e/ou prova de provocação oral. Esta última consiste em administrar um fármaco, de forma gradual e sob vigilância, para perceber o tipo de alergia (pseudoalergia ou alergia) e para testar fármacos alternativos que possa utilizar em situação de dor ou febre.

O tratamento consiste na evicção do medicamento suspeito e no tratamento de sintomas quando ocorre exposição.

Evolução / Prognóstico

O prognóstico é habitualmente favorável com a evicção do(s) medicamento(s) suspeito(s).

 

 

Prevenção / Recomendações

Notificação à saúde escolar.

Acompanhar-se do documento que identifique o medicamento causador.

Acompanhar-se de medicação para alívio dos sintomas.

Saber Mais

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail