Menu

Introdução

Febre no recém-nascido é definida como temperatura rectal igual ou superior a 38º C.

Nos recém-nascidos, a regulação da temperatura não está completamente desenvolvida, podendo existir doença grave sem febre. Por outro lado, a febre pode traduzir doença grave.

Como medir?

A forma mais fidedigna de avaliar a febre é a medição da temperatura rectal, com termómetro electrónico rectal. Não devem ser utilizados termómetros de vidro pela maior imprecisão na leitura do valor, risco de quebra e lesão.

Técnica de medição da temperatura rectal: o bebé deve estar seguro, deitado de costas ou de lado e com as pernas semi-flectidas. A ponta do termómetro deve ser lubrificada com vaselina e inserida cuidadosamente no ânus até não ser visível a cobertura metálica (cerca de 2-3 cm).

Causa

A febre pode ser causada por uma infecção ou pode dever-se apenas a sobreaquecimento do bebé. Pode surgir ainda noutras situações mais raras.

O que fazer

Todo o recém-nascido com febre deve ser observado e orientado por um médico / profissional de saúde.

Verifique se existem outros sinais como alteração do comportamento (mais adormecido ou irritado), recusa alimentar, vómitos, dificuldade em respirar ou outro sinal que lhe pareça diferente ou estranho.

Exclua a possibilidade de sobreaquecimento (vestuário, cobertores, fontes de calor próximas).

Prevenção / Recomendações

Para prevenir o sobreaquecimento mantenha a casa com temperatura amena e vista o bebé com roupa de espessura equivalente à sua. Evite colocar o bebé sob exposição solar directa. Apesar de ser importante mantê-lo aquecido, pode ocorrer sobreaquecimento quando vestido com demasiadas camadas de roupa e cobertores ou proximidade de fontes de calor.

Para prevenir infecções é fundamental a lavagem das mãos antes de contactar com o bebé. É também importante a vigilância da gravidez, o aleitamento materno e a evicção do contacto com pessoas doentes e permanência em ambientes fechados com grande concentração de pessoas.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail