Menu

    Introdução

    A PET/CT com 18F-FDG é um exame simples de realizar e não invasivo, implicando apenas a punção de uma veia periférica para a administração de um produto designado 18F-FDG (radiofármaco) e a posterior obtenção de imagens num aparelho próprio.

    São obtidas imagens utilizando raios-X (imagens de CT) e imagens utilizando a radiação emitida pela 18F-FDG (imagens PET) [ver Figura 1], sendo necessária a colaboração da criança para se manter imóvel durante cerca de 25 minutos.

    Radiofármaco

    O produto utilizado é um radiofármaco designado 18F-FDG, uma substância muito parecida com a glicose (açúcar). Para realização do exame, a 18F-FDG é administrada por uma veia. Posteriormente, num aparelho dedicado, são obtidas imagens da distribuição da 18F-FDG e podem ser observados os locais do corpo onde o consumo de açúcar é mais elevado. Uma vez que os tecidos da maior parte dos tumores apresentam um consumo de açúcar mais elevado que os tecidos normais do organismo, este exame permite identificar os tumores com bastante eficácia.

    Porque é realizado

    Os motivos mais frequentes para realização deste exame são:

    • Detecção e avaliação de locais envolvidos por doenças tumorais;
    • Avaliação de doentes para planeamento de tratamentos;
    • Avaliação de lesões para orientar a colheita de tecidos para análise (biópsia);
    • Avaliação de doentes com febre de causa não esclarecida;
    • Avaliação da resposta aos tratamentos (quando há uma boa resposta aos tratamentos as lesões deixam de captar a 18F-FDG);
    • Detecção e avaliação de eventuais recaídas/recidivas;
    • Diferenciação entre recaídas/recidivas e alterações benignas.

    Como é realizado

    A realização deste exame inclui os seguintes procedimentos:

    • Avaliação clínica (história clínica e observação) pelo médico de Medicina Nuclear);
    • Registo do peso e altura;
    • Administração de medicamentos necessários para preparação (ex: relaxante muscular em comprimido/xarope);
    • Punção de uma veia periférica, geralmente do braço/antebraço, para colocação de um soro e posterior administração do produto (18F-FDG);
    • Recolha de uma gota de sangue para verificar os níveis de açúcar no sangue;
    • Hidratação com soro fisiológico (250-500 ml) ou com água (cerca de 300 ml);
    • Repouso num cadeirão hospitalar confortável durante cerca de 1 hora, numa sala aquecida;
    • Administração do radiofármaco (18F-FDG), sendo a dose administrada calculada de acordo com o peso da criança;
    • Segundo período de repouso num cadeirão hospitalar confortável durante cerca de 1 hora, numa sala aquecida;
    • Aquisição das imagens no aparelho durante cerca de 25 minutos. O modo como as imagens são obtidas é ajustado à idade, peso e altura da criança.

    Poderá ser necessário sedar a criança e, nesses casos, é solicitado o apoio do Serviço de Anestesia.

    O tempo total despendido para realização do exame é de aproximadamente 3 horas: 1 h de repouso prévia à administração do produto; 1 h de repouso entre a administração e o início da aquisição de imagens; aquisição de imagens no equipamento PET/CT durante cerca de 25 minutos.

    Contra-indicações

    Nas adolescentes em idade fértil, deve ser descartada a possibilidade de gravidez antes da realização do exame, assim como deve ser investigado se estão a amamentar, devendo a amamentação ser suspensa nas 24 horas posteriores ao exame.

    Limitações

    Algumas lesões inflamatórias benignas podem apresentar aspetos semelhantes às doenças tumorais.

    Falsos positivos

    Os órgãos onde de forma normal existe captação/retenção do radiofármaco, podem ser causa de falsos positivos (por exemplo os rins e as vias urinárias).

    Falsos negativos

    Lesões com dimensões inferiores a 5 mm ou com captação reduzida do radiofármaco poderão não ser detectadas por este exame.

    Cuidados a ter

    Antes do procedimento

    Antes do exame ser iniciado devem ser observados os seguintes cuidados:    

    • Não consumir alimentos e bebidas açucaradas nas 24 horas antes do estudo;
    • Não realizar atividade física que exija força muscular exagerada nas 24 horas antes do exame;
    • Ficar em jejum 6 horas antes do exame;
    • Suspender 6 horas antes do estudo os soros contendo glicose na sua composição;
    • Doentes com diabetes a fazer tratamento com insulina: não devem fazer a insulina da manhã no dia do exame.

    Depois do procedimento

    Após o exame, os cuidados a ter são os seguintes:

    • O acompanhante da criança não deverá ser uma mulher grávida;
    • Deve ser evitado contacto com outras crianças e mulheres grávidas durante o dia de realização do exame;
    • Devem ser ingeridos bastantes líquidos durante todo o restante dia de realização do exame.

    Dosimetria

    A dose de radiação efetiva do estudo PET depende da atividade de 18F-FDG administrada, da idade e peso da criança e dos parâmetros usados na obtenção das imagens.

    Em média, o exame implica a exposição a uma dose de radiação semelhante à exposição a que todos estamos sujeitos no dia-a-dia, derivada de fontes de radiação natural, durante 5 anos.

    Glossário

    PET – tomografia por emissão de positrões, exame de Medicina Nuclear designado a partir do acrónimo inglês para “Positron Emission Tomography”.
    CT – tomografia computorizada, exame de imagem designado partir do acrónimo inglês para “Computerized Tomography”, também conhecido por TAC.
    18F-FDG – fluorodesoxiglicose marcada com Flúor-18, radiofármaco análogo da glicose.

    Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
    Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

    Envie as suas sugestões

    Newsletter

    Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail