Menu

Introdução

A Escarlatina é uma doença infeciosa, altamente contagiosa, comum em idade pediátrica.

Frequência

            Mais frequente acima dos cinco anos e rara abaixo dos 3 anos. Atinge igualmente ambos os sexos e apresenta um pico de incidência durante os meses de inverno e primavera.

Causa

            Resulta da libertação de toxinas eritrogénicas pelo Streptococcus pyogenes (SGA) e em raros casos por Streptococcus do grupo C, D e G. Na maioria das vezes associa-se a amigdalite contudo também pode associar-se a infeções cutâneas

Sinais e sintomas

Numa fase inicial, a criança pode apenas apresentar febre, dor de garganta, dor de cabeça, mal-estar geral, dores no corpo, bem como náusea/vómitos. Posteriormente surge um exantema, ou seja, pequenas manchas avermelhadas, distribuídas por todo o corpo que se iniciam na cara e pescoço e depois se espalham pelo tronco e membros poupando as palmas das mãos e plantas dos pés.

Estas lesões são ásperas ao toque (semelhante a uma lixa) e desaparecem com a pressão. Na maioria das vezes não atingem a região em torno da boca e associa-se a uma língua vermelha brilhante com pequenos pontos que se assemelha a um morango/framboesa.

Após o desaparecimento das lesões cutâneas surge uma descamação da pele principalmente nas mãos e nos pés (descamação em meia e luva).

O que fazer

Perante a suspeita de escarlatina a criança deve ser observada por um profissional de saúde para confirmar ou excluir essa suspeita.

O diagnóstico de escarlatina é clinico e baseia-se na associação de febre, amigdalite/faringite e lesões na pele.

Pode ser realizado a pesquisa de Streptocccus pyogenes na garganta com a realização de zaragatoa.

Tratamento

O tratamento da escarlatina consiste na administração de antibiótico, bem como na utilização de antipiréticos e analgésicos para controlo dos sintomas.

Evolução / Prognóstico

Na maioria das vezes a escarlatina evolui favoravelmente após início de antibioterapia com regressão progressiva da sintomatologia. Em raros casos, pode ter complicações potencialmente graves mas cada vez menos frequentes devido ao tratamento adequado e atempado da escarlatina.

Prevenção / Recomendações

A escarlatina é uma doença infeciosa transmitida por via aérea (tosse, espirros, salivas, etc…). Deste modo, a criança não deve ir à escola até completar pelo menos 24h de antibiótico para diminuir o contágio (Decreto Regulamentar n.º 3/95, de 27 de janeiro).

Recomenda-se ainda higiene frequente das mãos e que não exista partilha de objetos (copos, talheres, brinquedos, etc…) pois a saliva é um dos principais meios de transmissão da doença.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail