Menu

Introdução

Definição

A Loíase, também conhecida por Loa loa, é causada pelo parasita Loa loa.

Outras designações: verme africano do olho ou verme tropical do olho.

Existe nas florestas tropicais da África Ocidental e Central.

Causa

Na fase inicial de vida (microfilária) o parasita é transmitido ao ser humano através da picada da fêmea da mosca vermelha, também conhecida como mosca do veado ou mosca do cavalo.

Dentro do corpo cresce, transforma-se em verme adulto, e desloca-se das camadas superficiais para tecidos mais profundos.

O período que decorre entre a picada da mosca e o aparecimento dos sinais e sintomas varia de meses a anos.

O verme adulto pode viver mais que uma década no ser humano e dar origem a sucessivas gerações de microfilárias.

Sinais e sintomas

A maior parte dos infectados nascidos e vivendo permanentemente nas zonas onde existe a doença não apresenta sinais e sintomas.

As manifestações são mais frequentes nos viajantes e nos que, vindo doutras paragens, passaram a residir nas zonas onde existe Loa loa e a mosca que a transmite.

Os primeiros sintomas são comichão, dor, formigueiro e sensação de picada no local da penetração das microfilárias.

Segue-se inchaço transitório que pode ser observado durante dias a semanas, resultante da reacção à presença dos vermes adultos que entretanto se deslocaram para as camadas mais profundas do corpo. O inchaço é solitário e geralmente encontrado na face e nos membros, à volta das articulações.

Por vezes os vermes adultos são observados nos olhos, durante curtos períodos do dia, através das conjuntivas, e podem causar conjuntivite.

Situações como a oncocercose ou a filaríase linfática podem ser confundidas com a Loíase.

Tratamento

Existem medicamentos eficazes contra a doença.

Evolução / Prognóstico

Com evolução a infecção por Loa loa pode causar lesões cardíacas, cerebrais, pulmonares, oculares, articulares, do sistema nervoso e dos órgãos sexuais.

Prevenção / Recomendações

Deve pensar em Loíase e procurar apoio médico todos os indivíduos que, vivendo ou tendo estado em região endémica da doença, apresentem os sinais e sintomas acima descritos.

Proteger-se das picadas de moscas: usando calças e camisas de mangas compridas, de cores claras e impregnadas de repelentes de moscas.

Não construir, nas regiões onde existe a doença, habitações perto dos pântanos e das florestas.

Nas regiões afectadas por Loa loa deve ser cumprida com rigor a medicação estabelecida para evitar a infecção pelo referido parasita.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail