Menu

Introdução

Definição

A alergia alimentar pode ocorrer quando o sistema imunológico reconhece um alimento como estranho e tenta proteger-se contra ele, levando a reações denominadas alérgicas. Os frutos secos podem levar a reações alérgicas, sendo a noz uma das principais causas.

Frequência

Menos de 1% da população geral é alérgica à noz mas sabe-se que pode ser responsável por 4% das alergias alimentares nas crianças.

Causa

A alergia ocorre por respostas imunológicas quando há contacto do organismo com a noz (contacto com a pele, inalação, ingestão), na maioria das vezes com libertação de imunoglobulinas (IgE) que levam às reações alérgicas. Normalmente ocorrem alguns minutos ou horas após haver contacto com a noz.

Sinais e sintomas

Sintomas

Os principais sintomas são: lábios inchados, sensação de comichão na boca e garganta, manchas e papúlas vermelhas pelo corpo e comichão no corpo, nos olhos.

Se a reação alérgica for grave, chamada anafilaxia, pode haver falta de ar, inchaço da garganta com ruído na respiração, alteração da cor da pele (lábios roxos), vómitos e desmaio.

Diagnóstico

O diagnóstico da alergia alimentar é complexo e exige uma boa história clínica e alguns exames. Estas crianças devem ser seguidas numa consulta médica, preferencialmente de Alergologia Pediátrica ou Imunoalergologia.

É importante que os pais/cuidadores tenham o máximo de informação possível quando recorrem a um profissional de saúde:

  • Se a criança tem antecedentes de alguma doença alérgica como rinite, asma, alergias alimentares ou medicamentosas;
  • Identificação do alimento suspeito (noz como fruto natural ou cozinhado; outros alimentos que o possam conter como bolos, doces, pão). Os pais e crianças mais velhas devem ler os rótulos dos alimentos;
  • Tipo de exposição ao alimento: contacto na pele/mucosas, inalação ou ingestão;
  • Descrição da reação;
  • Data e hora da reação;
  • Tempo após contacto com alimento.

Testes cutâneos

São realizados nos casos de reações alérgicas leves. Inicialmente a pele do antebraço é picada com uma lanceta através de uma solução que contém a noz e aguarda-se que surja alguma reação nesse local. O teste permite perceber se a criança tem reação mesmo a quantidades mínimas do alimento.

O médico irá decidir se fará testes a outros alimentos pelo risco de haver alergias cruzadas. Estes testes podem causar alguma reação alérgica e por isso são realizados no hospital junto de profissionais de saúde.

Testes sanguíneos

Consiste na colheita de sangue, através da qual, com certas análises é possível diagnosticar a presença de alergia à noz e a outros alimentos.

Prova de provocação oral (PPO)

É o teste de eleição para confirmar uma possível alergia. Este procedimento também pode causar uma resposta alérgica, sendo por esse mesmo motivo realizado em meio hospitalar com profissionais habilitados a tratar essas situações.

Durante a prova são administradas doses crescentes da noz para avaliar o possível aparecimento de reação (inicialmente é colocado um cateter endovenoso, que permite a administração rápida de medicação de emergência se necessário).

O que fazer

Logo que surgirem os primeiros sintomas deve ser procurada ajuda de um profissional de saúde no serviço de urgência. Se já tem história de alergia alimentar e começar com sintomas mais graves (como falta de ar, inchaço na garganta, desmaio) deve usar a caneta de adrenalina imediatamente.

O primeiro passo será a evicção do alimento causador da alergia, neste caso a noz. Se a reação for grave, pode ser necessário evitar outros frutos secos ou frutas (maçã, pêra, uvas, pêssego, entre outros), consoante indicação médica.

Tratamento

Consoante a gravidade da reação alérgica, pode ser necessário fazer medicação oral ou endovenosa no hospital. Consoante indicação médica, poderá ser prescrito um anti-histamínico ou corticóide que irão aliviar os sintomas da alergia em casa.

Nos casos de anafilaxia, o médico deve prescrever uma caneta de adrenalina com treino na sua administração e entrega de informação escrita. Deve também proceder à identificação da criança com alergia (entregar cartão de alergia, carta explicativa na escola e outros locais que a criança frequente regularmente).

Evolução / Prognóstico

A alergia à noz pode surgir nos primeiros anos de vida, sendo que os sintomas podem surgir logo na primeira vez que contacte com a noz e mesmo em quantidades pequenas.

Na maioria dos casos o prognóstico é favorável, embora haja um risco de mortalidade associado aos doentes que apresentam reações anafiláticas.

A sua prevalência aumenta com a idade e pode persistir ao longo de toda a vida. No entanto há casos em que a alergia pode desaparecer com os anos.

Prevenção / Recomendações

  • Se após o estudo houver confirmação de alergia à noz esta deve ser evitada, tanto crua como cozinhada. A evicção a outros alimentos deve ser sempre feita se indicação médica.
  • É importante que a criança mantenha seguimento no médico e mantenha evicção dos alimentos em questão até indicação deste.

CONSELHOS GERAIS

  • Confirmação da ausência de noz (outros alimentos consoante indicação mria, angioedemaicrgologia.seguidas em consulta de Alergologia Pediomo fruto. O médica) nas refeições e recusar refeições cujo composição seja desconhecido;
  • Leitura atenta dos rótulos;
  • Evitar a utilização de utensílios contaminados com frutos secos (ex.: facas, bancada de cozinha);
  • Se reação anafilática ou outra reação grave, utilizar a caneta de adrenalina e chamar o INEM.
  • Os pais devem entregar SEMPRE a informação médica acerca da alergia na escola e outros locais que a criança frequente regularmente

Saber Mais

Alergia alimentar, anafilaxia, urticária, angioedema

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail