Menu

Introdução

A sépsis é uma infecção disseminada. Designa-se sépsis neonatal precoce quando ocorre na primeira semana de vida e é causada por microorganismos que se encontram no aparelho genital materno como o Streptococcus do grupo B (SGB) e tardia quando surge depois desse período sendo adquirida na comunidade ou em meio hospitalar. Os seguintes factores aumentam o risco de infecção precoce: mãe portadora de SGB, prematuridade, rotura da bolsa de águas superior a 18 horas, infecção da placenta e do líquido amniótico.

Sinais e sintomas

Os sintomas de sépsis no recém-nascido (RN) podem ser inicialmente subtis mas evoluem de forma mais ou menos rápida. A doença pode manifestar-se por diferentes sintomas: sonolência ou irritabilidade, dificuldade respiratória, gemido, dificuldade ou recusa em se alimentar, vómitos, alteração da cor da pele com palidez ou cianose, alteração da temperatura que pode ser febre ou hipotermia.

O que fazer

Todo o RN que tiver sintomas ou fatores de risco de sépsis deverá ser avaliado por um médico o mais precocemente possível. Para esclarecimento clínico, serão feitos exames ao sangue, como o hemograma, o doseamento de proteína-C-reactiva e a hemocultura (cultura de sangue). Alguns destes exames podem ter que se repetir e só ao fim de alguns dias se obtém o resultado da hemocultura. Em alguns casos são necessários outros exames como a radiografia de tórax, a urocultura ou o exame do líquido cefalorraquidiano obtido pela punção lombar.

Tratamento

Quando os médicos suspeitam de sépsis no RN, são de imediato iniciados antibióticos por via endovenosa e o RN fica internado e sob vigilância apertada, podendo necessitar de cuidados numa Unidade Neonatal. O tratamento pode durar entre 1 a 3 semanas de acordo com os resultados dos exames e a evolução clínica. Se não for isolada nenhuma bactéria no sangue, a duração poderá ser menor. Além do tratamento com antibióticos, são igualmente implementadas medidas de suporte como a administração de soros e de transfusões de sangue. Por vezes os recém-nascidos mais doentes necessitam de suporte ventilatório invasivo.

Evolução / Prognóstico

A maior parte dos recém-nascidos tratados recupera completamente, sem ficar com problemas no futuro. No entanto, em alguns casos, a infeção pode ter uma evolução rápida causando complicações ou mesmo morte, apesar do tratamento adequado.

Prevenção / Recomendações

Se o RN mostrar sintomas sugestivos de sépsis, deverá ser observado por um médico, preferencialmente num centro pediátrico e se a suspeita diagnóstica for forte, o RN ficará internado.

Algumas medidas podem evitar a aquisição de infecções no período neonatal como: lavar e desinfectar as mãos antes de mexer no RN; evitar o contacto de pessoas com sintomas de doença contagiosa com o RN; evitar levar o RN para locais populosos e pouco arejados.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail